Blog

Gestão Educacional

Protocolo de biossegurança e modelo híbrido fazem parte da volta às aulas em escolas particulares

volta às aulas

Fevereiro está iniciando e com ele a expectativa de milhões de alunos e pais ansiosos para saber como será a volta às aulas neste ano. Em princípio, acreditava-se que a pandemia estaria sob maior controle em 2021. No entanto, o número de casos, e até variantes da doença, não dão trégua, mudando novamente os planos das escolas.

Na rede particular de ensino, protocolos de biossegurança e sistema híbrido devem nortear este primeiro semestre letivo. Pelo menos até que a situação da doença esteja mais controlada.

Desde junho do ano passado, a Federação Nacional de Escolas Particulares (FENEP) atualiza diariamente um mapa de retorno às atividades com o intuito de identificar como as capitais estão sinalizando a volta às aulas presenciais.

No dia 1° de fevereiro, o mapa indicava que 17 estados, que contam com previsão de data para iniciar o ano letivo, vão adotar o modelo híbrido. Outros 5 estados tem previsão de data, mas ainda não definiram o modelo a ser adotado. Três estão sem data e/ou modelos definidos e dois com data definida, mas vão adotar o modelo totalmente on-line. Clique aqui para consultar o mapa atualizado.

A entidade elaborou ainda um plano com protocolos de saúde e orientações pedagógicas para as escolas particulares no retorno às aulas em meio à pandemia. Dentre eles, estão: organizar a estrutura operacional para que os alunos mantenham uma distância de 1m2 entre eles e demais pessoas, uso obrigatório de máscaras e disponibilização de álcool em gel 70% em todos os ambientes do estabelecimento.

Volta de forma escalonada

No Centro Educacional Roda Pião, em Palhoça (SC), por exemplo, o retorno às aulas vai ocorrer de forma escalonada. Ou seja, parte da turma vai estudar durante 15 dias na escola enquanto a outra assistirá as aulas em casa. Cerca de 450 alunos regressarão à instituição neste ano.

Estamos adotando todas as medidas de biossegurança necessárias para o retorno dos alunos, com álcool 70% em todas as salas, uso de máscara e tudo o que o protocolo exige. Além disso, estamos trabalhando para transmitir as aulas ao vivo para aqueles alunos que vão ficar parte do período em casa”, explica Giovany Amadeo Scheidt, administrador da Roda Pião.

Dicas para ampliar a segurança na volta às aulas

– Adote o revezamento de alunos, subdividindo as turmas em grupos, e escalonando os horários de entrada e saída, assim como no recreio.

– Com as crianças pequenas é possível formar bolhas – grupos de alunos que frequentam a escola no mesmo dia. Assim, elas brincam juntas, fazem refeições juntas e, se alguma delas contrair o vírus, não será necessário isolar a escola inteira, apenas os alunos daquela bolha.

– Durante as refeições, as crianças devem sentar-se respeitando o distanciamento, uma vez que estarão sem máscaras. Os professores também devem evitar cantorias e brincadeiras a fim de reduzir a probabilidade de transmissão.

Sua escola vai adotar o ensino híbrido? Conte com uma ferramenta para auxiliar nas atividades

A plataforma Mentor Web, da Edusoft, oferece uma série de vantagens para quem adota o modelo de ensino híbrido. A ferramenta conversa com outras plataformas, inclusive com ambientes virtuais de aprendizagem como o Google for Education e Moodle. Além disso, conta com aplicativo para aluno e professor e também envio de mensagens para os pais através de WhatsApp ou SMS. 

Quer saber mais? Clique aqui para conferir outras funcionalidades do Mentor Web.


Quer saber mais sobre as soluções da Edusoft?

Solicite uma demonstração


(47) 2111-2222

comercial@edusoft.com.br