Blog

Gestão Educacional

Dicas para controlar seu fluxo de caixa escolar

fluxo de caixa escolar

Assim como qualquer outra organização, as instituições de ensino precisam ter um controle sobre suas despesas e receitas.

Essa é a forma mais eficiente para verificar se a instituição está lucrativa ou apresentando prejuízos no orçamento. Esse controle financeiro é conhecido como fluxo de caixa e é um dos fatores mais importantes da gestão financeira de uma escola.

LEIA MAIS: COVID-19: 94% dos alunos de IES particulares pretendem continuar os estudos

O que fluxo e de caixa?

Uma boa administração de recursos financeiros possibilita que a escola mantenha sua saúde financeira em dia e faça investimentos. Mas você sabe o que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é toda a movimentação de entradas e saídas de dinheiro do caixa, ou seja, tudo o que sua instituição de ensino recebe e paga.

Para garantir um bom controle de fluxo de caixa, é fundamental manter um registro detalhado diário, semanal e mensal de ganhos e gastos.

O passo mais importante para organizar o fluxo de caixa da sua instituição é entender que essa é a ferramenta responsável por controlar a movimentação financeira, como: receitas, despesas, contas a pagar ou a receber, investimentos e inadimplência em um período de tempo predeterminado.

CONHEÇA O MÓDULO GESTÃO DA TESOURARIA

Confira as dicas para organizar o seu fluxo de caixa:

Organizar a parte de contas a pagar

Boa parte dos gastos de uma escola envolve lidar bem com o pagamento de contas e qualquer falha nesse processo pode significar furos no orçamento escolar.

Uma boa estratégia para evitar que isso aconteça, é dividir a parte de contas a pagar em categorias dentro de uma planilha.É importante que essa planilha não seja apenas um arquivo de Excel, alimentado pelo nome do fornecedor e o valor.

Para organizar o fluxo de caixa escolar da melhor forma, é necessário prever os gastos futuros e realizar investimentos. Além disso, é importante separar as despesas fixas das variáveis.

Despesas fixas:

  • Salários;
  • Limpeza e conservação;
  • Segurança e vigilância;
  • Internet;
  • Aluguel (estrutura, sistemas, impressoras, etc.).

Despesas variáveis:

  • Água, luz e telefone;
  • Materiais de escritório;
  • Manutenção.

Mapear os valores recebidos e a receber

Um passo importante na otimização do fluxo de caixa escolar para saber quanto de dinheiro a instituição tem disponível, é a verificação do saldo de todas as contas da instituição, além dos valores depositados em cofre, dos fundos de investimentos e outros recursos.

Nesse processo é importante mapear os valores recebidos em mensalidades dos alunos e considerar também o índice de inadimplência.

Para calcular esse índice é preciso aplicar a seguinte fórmula:

Valor total de mensalidades não pagas (que se incluem no critério de inadimplência) / valor total de mensalidades cobradas

O percentual obtido por essa conta é o chamado índice de inadimplência escolar, que pode ser considerado normal, dentro da média ou alto:

  • Índice de inadimplência baixo: abaixo de 2%
  • Índice de inadimplência dentro da média: entre 2% e 3%
  • Índice de inadimplência alto: acima de 3%.

Com o módulo gestão da tesouraria do Mentor Web, é possível fazer a gestão de alunos e as cobranças, o que permite uma visão holística da saúde financeira da instituição de ensino, com a possibilidade de visualização de alunos inadimplentes.

Outra solução que o Mentor Web oferece é o envio de lembretes automáticos, via portal do aluno e portal do responsável, antes da data de vencimento das mensalidades, o que ajuda a evitar a inadimplência dos alunos.

Conte com a Edusoft para otimizar o fluxo de caixa e manter a gestão da sua instituição de ensino sempre em dia, mesmo em momentos de crise!

Fonte: https://bit.ly/2KqYR25


Quer saber mais sobre as soluções da Edusoft?

Solicite uma demonstração


(47) 2111-2222

comercial@edusoft.com.br